Concurso Pasta della Mamma no Verdemar!

O dia 23 de maio foi marcado no Verdemar pela tradição italiana. Durante o dia, uma dupla de cancioneiros esteve em todas as lojas da rede e apresentou um pouco da música tradicional da Itália. À noite, no mezanino da loja do Sion, a dupla de músicos abriu a final do Concurso Gastronômico Pasta Della Mama Verdemar.

O Concurso, que selecionou as dez melhores receitas de massas italianas, teve sua etapa final contemplando três finalistas para eleger o grande vencedor. Em uma autêntica cantina italiana, cada um dos três teve a oportunidade de preparar ao vivo seus pratos e servir o júri e os demais participantes da animada noite.

O primeiro a apresentar foi Eduardo Furtado de Azevedo com o Tagliatelle ai Piacere della Mamma. Em seguida, foi a vez de Edlways Campos de Faria com o Conchiglioni Mandarino. E, para finalizar, Mariana de Marques, com o Fettuccine ao Ragu di Braciola.

Em uma disputa apertada, a ganhadora da noite foi Mariana Marques, que garantiu um Vale Viagem da CVC, no valor de R$5.000,00. Importante registrar a presença dos outros sete selecionados, que tiveram suas receitas publicadas no Livreto de Massas Italianas, que será distribuído, a partir de 25 de maio nas lojas.

A vencedora do concurso, Mariana de Marques...

...e seu prato vencedor, Fettuccine ao Ragu di Braciola.

Conheça os demais concorrentes que foram selecionados dentre os inscritos:

  • Carbonara UAI, de Soraia Cristina Cantini;
  • Conchiglioni de Geléia de Jabuticaba aos Quatro Queijos, de Maira Mansur;
  • Fettucine de Noi Due, de Mariana Mourão Lerbach;
  • Linguine com Frutos do Mar, Pesto de Rúcula Silvestre e Perfume de Laranja, de Fernando Santiago Baptista;
  • Linguine “ Leccati i Baffi”, de Matteo Bluzin;
  • Pappardelle com Molho de Mascarpone, Alho-poró e Costelinha especial, ao Pangrattato, de Leonardo Borges Acurcio
  • Papardelle em Vinagrete de Polvo à Ligúria, de Val de Almeida Jr.

Fique atento às novidades do Verdemar e lembre-se: o grande prazer da gastronomia é reunir ao redor da mesa pessoas especiais!

Confira as fotos aqui!

Curso de Vinhos: conheça a França!

Quer viajar pelos vinhedos da França? Então participe do Curso de Vinhos da França Verdemar. Em turma única para 40 pessoas, as aulas acontecerão nos dias 7 e 8 de maio, das 19 às 22h, no Verdemar da Avenida Nossa Senhora do Carmo.

No curso ministrado pelo consultor de vinhos Carlos Arruda, será feita uma abordagem aprofundada dos vinhos da França, mostrando suas regiões vinícolas, suas uvas e características dos vinhos. As regiões mais importantes serão visitadas em detalhe, com suas Apelações de
Origem e vinhos mais prestigiados.

Quem é um amante do bom vinho não pode perder esse passeio, com direito à degustação de 17 vinhos de diversas regiões, incluindo ícones como Champagne, Bordeaux, Chablis, Limoux, Sauternes e Provence. Ao final, o participante receberá um certificado e apostila completa.

Não perca essa chance! Inscreva-se já!


Clique para aumentar.

O hambúrguer perfeito: como fazer

Como conjugar textura, suculência e sabor em um hambúrguer? Em seu programa Em busca da perfeição, o chef inglês Heston Blumenthal, do estrelado The Fat Duck, faz os mais variados experimentos para chegar ao ponto certo de um sanduíche – ou melhor, o hambúrguer perfeito. E é claro que o cuidado com a carne é o principal para que isso dê certo.

Como os cortes bovinos têm características bem distintas, o jeito é misturar. Mas quais deles? Depois de muito testar, Blumenthal chega a uma proporção ideal: segundo ele, é preciso 50% de acém (deixe cerca de uma hora em sal grosso e depois limpe a carne), 25% de peito bovino e 25% de costela bovina.

Em seguida, o ‘pulo do gato’ está no momento de moer. O jeito mais fácil é pegar cada uma das carnes já moídas e misturar. Mas há outro jeito: com todas elas picadas em cubinhos, misture e moa-as juntas, deixando-as esticadas como um espaguete e sem amassar.  À medida que forem sendo moídas, vá colocando os fios desse ‘espaguete’ um sobre o outro, formando um grosso salame de carne moída e inteiriça. Embale firme em um plástico e leve ao congelador.

A dica de Blumenthal é simples: quando você for cortar esse ‘salame’ de carne, os fios da carne moída estarão em paralelo. Assim, ao morder a carne, elas vão se desprender facilmente, ajudando na textura do hambúrguer.

Depois disso, é só escolher seus ingredientes favoritos e fazer um belo sanduíche! Quando fizer, mande uma foto para a gente!

Quer saber mais sobre sanduíches? Então veja na Verdemar em revista #24 uma matéria com várias receitas!

Semana da Páscoa: como dessalgar o bacalhau

Confira na revista esta receita!

Nesta edição da Verdemar em revista, você encontra várias receitas diferentes com o bacalhau. Para ajudar no preparo, conversamos com Ilda Vianagre, do restaurante A Bela Sintra, em São Paulo. Veja alguns segredos da dessalga do peixe para fazer sucesso nesta Páscoa!

A primeira lição é sobre o ponto do sal, fundamental para o sucesso do prato. Para acertar, é preciso ver a altura do peixe: aqueles muito altos, com cerca de 7 cm, precisam de 72 horas para dessalgar. Além disso, a água precisa ser sempre gelada, trocada assim que chegar à temperatura ambiente.

“Para saber se o ponto de sal está bom, basta enfiar o dedo na posta e tirar um pedaço do meio para provar. A lasca do meio é fundamental, é ela que comanda o sal. O bacalhau salgado é ruim, e o sem sal é muito ruim”, explica Ilda.

Um dos problemas recorrentes de quem faz o bacalhau é servi-lo muito seco. Em grande parte, isso se deve à dessalga, que foi insuficiente para inchar a carne e dar uma boa textura. Para resolver isso, uma dica é colocá-lo de molho em leite, para manter a suculência.

“Dá um gosto mais aveludado, mas é preciso dessalgá-lo antes, para, então, deixá-lo no leite por cerca de 4 a 5 horas. Como ele fica mais inchado, é ideal para ser feito no forno, que é o tipo de preparo que mais seca o bacalhau. Se ele for feito no forno e não levar leite em seu preparo, fica seco, parecendo palha. A sugestão é assá-lo a 180ºC e servi-lo com batatas ao murro”, indica.

Confira também o mapa com dicas de restaurantes em São Paulo!

Semana da Páscoa: como escolher o bacalhau

Para os amantes do bacalhau, a Páscoa é o período mais especial para se preparar o peixe. É o momento de reunir a família e fazer aquela receita que todos gostam. Mas você conhece as variedades de bacalhau que existem?

Embora existam vários tipos, dois são chamados de bacalhau verdadeiro: o ‘do Porto’ e o ‘do Pacífico’. As outras variedades são peixes semelhantes que passam pelo mesmo processo de salga e desidratação. Confira suas características e veja qual é o melhor para sua receita:


Gadus morhua: também é conhecido como bacalhau do Porto ou Cod. Possui postas grandes e tenras, sendo a variedade mais suculenta. Para as grandes receitas, esse é o ideal.


Gadus macrocephalus: chamado de ‘bacalhau do Pacífico’, é semelhante ao do Porto, com a cor um pouco mais clara. Quando cozido, contudo, não solta as lascas facilmente como ele e é um pouco mais fibroso.


Saithe: de carne mais escura, o saithe tem um sabor mais forte. Como desfia facilmente, é bem utilizado para fazer bolinhos, saladas e tortas.


Ling: sua carne é clara e as postas são mais estreitas.

 


Zarbo: o menor dos tipos, possui postas menos suculentas.

Tipos de arroz

Qual tipo de arroz melhor para cada receita? Para um risoto, escolho o vialone ou o carnaroli? Que tipo posso usar em uma salada?

Cada receita pede um tipo diferente de arroz – e eles são muitos! Além do branco e do integral, os mais comuns companheiros do almoço diário, existem variedades muito exploradas em culinárias de outros países, e podem incrementar sua refeição.

Na Verdemar em revista #20, publicamos um quadro com as características dos mais conhecidos, e agora você pode conferi-lo aqui no blog. Para colocar os conhecimentos em prática, é só ver algumas receitas aqui e aqui! Não deixe de nos escrever no email blogrevistaverdemar@tangiranda.com.br contando como foi. Se tiver alguma dúvida, é só clicar aqui que a gente responde!